sábado, 16 de outubro de 2010

A fada da Vila Prudente

Andréia estava amuada no quarto pensando nos problemas da última semana e nos que ainda viriam nas próximas, caso não tomasse uma atitude corajosa. De repente veio um barulho:Plec!
- Socorro! quem é você?
- Sua fada madrinha. Não é você que é a Andréia?
- Sim sou eu...fada madrinha?...mas fadas madrinhas não existem!
- Pois pode ter certeza que sim e eu sou a prova viva disso!
- Er...mas você não se parece nada com uma fada. Onde estão suas asas, sua varinha?
- Ei meu, eu sou uma fada moderna, pós new-wave! Uso celular, computador e GPS no meu cotidiano.
- É, eu reparei que você é bem moderna. Gostei do seu cabelo vermelho, combina bem com seu vestido azul e suas botas pretas. Eu sempre quis pintar meu cabelo, mas me falta  coragem.
- Porque? É fácil, é só dosar as tinturas, você pode até pintar em casa com ajuda de alguém. Se quiser eu te ensino. Eu já fui cabeleireira e também sei decorar unhas.
- Pintar unhas, que legal! Eu estou precisando mesmo dar um trato nas minhas...depois que o Marcelo me deixou eu fiquei meio apática.
- Sei...homens, tudo igual. Se quiser eu tenho umas cores aqui na bolsa.
- Obrigada, mas deixa para outro dia. Eu preciso é mesmo de outro favor...qual o seu nome mesmo?
- Vania.
- Bem vinda a Ribeirão Preto, Vania!
- Meu, aqui é bem quente, hein! Que calorão!
- Você não viu nada,  no verão é pior. Falando em cidades, você é da capital, não é?
- Sou sim, como descobriu?
- É que você gosta de falar 'meu'  a toda hora.
- É sim, isso denuncia. Eu sou da Vila Prudente.
- Vania...me diga uma coisa.
- Pode perguntar!
- Eu não quero ser intrometida...
- Pergunte!
- Eu queria saber se você tem namorado, noivo, sei lá...
- Tenho sim, noivo.
- Tem mesmo...puxa, não sabia que fadas tinham relacionamentos. E qual o nome dele, o que ele faz, me conta.
- O nome dele é Augusto e ele é professor de romeno.
- Professor de romeno? Eu nunca vi um professor de romeno. Pra dizer a verdade nunca conheci ninguém que falasse romeno. 
- Eu como fada tenho que namorar alguém que as pessoas não saibam que existe. Por exemplo, um professor de romeno.
- Faz sentido. Mas deve ser difícil arrumar trabalho, né?
- Nem me fale Andréia! Estamos fazendo um esforço danado para montar nossa casa. Móveis, eletrodomésticos.
- Puxa que legal!  Você me convida para seu casamento?
- Já está convidada! Bem, mas voltando ao assunto inicial...você falou sobre o Marcelo, que é seu ex-namorado, não é? E você está aflita por causa disso, ele te deixou depois de uma briga e você se sente culpada, quer voltar com ele. E  por isso que eu vim aqui, para tentar te ajudar.
- Puxa, como você sabe disso se eu nem te contei a história ainda?
- Você se esqueceu que eu sou uma fada? Para aparecer na história eu tenho que fazer o levantamento dos dados de quem eu vou ajudar.
- Disfarça. O que você disse é isso mesmo...nós brigamos, eu gritei com ele, ele me chamou de mandona e foi embora. Eu me sinto tão culpada..eu queria ligar, dizer o quanto quero ele comigo...mas bate um orgulho besta que me faz ficar mais pra baixo ainda. Os homens são tão  complicados Vania...
- São mesmo. Só que não adianta nada ficar dando uma de durona e deixar a história seguir. Às vezes eu e meu noivo temos uma ou outra pequena briga, mas no fim um dos dois sempre acaba cedendo e a gente sempre se entende.
- Puxa vida! Eu nunca imaginei que fadas brigassem. Seu eu tivesse uma varinha eu nunca teria problemas com meu namorado...
- Mas eu tenho Andréia,  mesmo sendo fada. Não se pode mudar a realidade sem esforço. Veja a Cinderela, mesmo com o auxílio de uma fada madrinha, não conseguiria nada se não se empenhasse em ir ao baile.
- Você tem razão. Só que eu não sei como você poderia me ajudar nesse assunto.
- Vejamos...vou pegar meu DPA.
- DPA? o que é isso?
- É uma versão atual para a varinha...Decodificador de Pedidos Aleatórios.
- Ahnn...
Vania pegou o aparelinho parecido com um palmtop digitou alguns números.
- O que é isso ? perguntou Andréia.
- É um livro. Chama-se 'Orgulho e preconceito'.
- Vania! Eu estou passando maus bocados com a briga que tive com meu namorado e você me vem com livros!
- Meu, você não quer ajuda?
- Quero sim, mas no que esse livro vai me ajudar?
- É uma história de uma moça que gosta muito de um rapaz mas o acha muito arrogante. Essa impressão começou num primeiro encontro e dura boa parte do livro. Mas também ela tem sua parte de culpa, pois usou o 'mesmo veneno' que viu no rapaz. Eu adoro este livro, se você for ver, tem até alguns ensinamentos que podem valer para essa questão de relacionamentos.
- Parece ser bom. Eu precisava também de outra coisa.
- Diga.
- É que eu precisava dar uma mudada...sabe, comprar umas roupas novas para me encontrar com ele...
- Hum...só que vai ficar difícil...
- Por que?
- Eu estou com problemas no meu decodificador. Veja.
Andréia pegou o aparelhinho e viu uma listagem na tela: '1- roupas, 2- viagens, 3- perfumes, 4- bolsas e acessórios, 5- eletro-eletrônicos, 6 - livros, cd's e dvd's, 7- cosméticos, 8- bibelôs, 9- sapatos, 10- celulares'.  Reparou que no ítem '1 - roupas' tinha um 'x' vermelho.
- Esse 'x' indica problemas, né? Perguntou Andréia.
- É sim, desde semana passada tem dado problema...mas...
- Mas...?
Vania enfiou a mão na bolsa que trazia contigo e tirou um cartão.
- Olhe! Estou com o cartão de crédito do Augusto aqui. Ele sempre me deixa usar. Que tal se fôssemos ver umas roupas?
- Puxa, você é uma fada moderna mesmo. Tem até cartão de crédito!
- Vamos lá?
- Demorou!

2 comentários :

Andriéli Musette disse...

Adorei a Vânia!!!Queria uma fada madrinha dessas, rsrsrs...

Marcos Vinicius Gomes disse...

Pois é Andriéli, o problema é o rombo no cartão que ela deixou!rsrs